Parcerias Protocolo 10% de desconto
em serviços de fisioterapia

Agros
Escola Secundária Rocha Peixoto
Lidergraf – Artes Gráficas S.A.
 

Prestação de Serviços

Casa d’Avó – Residência assistida para séniores
Farmácia Praia (Póvoa de Varzim)
Farmácia Vital (Vila do Conde)
Gabinete Ella (Maia)

COMPARTICIPAÇÕES

A Fisiorégio não tem convenção direta com nenhum seguro ou sub-sistema de saúde, contudo o utente pode requerer a comparticipação dos tratamentos à respetiva entidade.

Veja como proceder em algumas situações:

Deverá consultar as condições da sua apólice e perceber se existe comparticipação no serviço de medicina física e reabilitação fora da rede que o seguro abrange. Neste caso, basta anexar a prescrição médica ao recibo dos tratamentos e enviar à seguradora de forma a ser posteriormente reembolsado.

 

ADSE

Os atos constantes na tabela de Medicina Física e Reabilitação serão comparticipados quando prescritos pelo médico.

O beneficiário deverá fazer prova desta situação, através de original ou fotocópia da requisição médica. Esta deve conter o nome e a especialidade do médico (colocação de vinheta de identificação).

O médico requisitante deve identificar o beneficiário e indicar:

  • a) Tipo de tratamento (códigos ADSE segundo tabela);
  • b) Número de tratamentos;
  • c) Tempo previsto para os tratamentos e frequência dos mesmos.

Os atos de medicina Física e Reabilitação terão de ser realizados por médicos fisiatras, ou médicos no domínio das suas especialidades, ou fisioterapeutas legalmente habilitados.

SAMS

A comparticipação em tratamentos de Medicina Física e Reabilitação está condicionada a:

  • – Prescrição médica com indicação da patologia e plano de tratamentos a realizar;
  • – Realização dos atos de medicina Física e Reabilitação terão de ser realizados por médicos fisiatras, ou fisioterapeutas legalmente habilitados;
  • – A comparticipação está limitada a um máximo de 40 sessões por ano e 4 atos diferentes por sessão.

Em situações pós-cirúrgicas, inequivocamente justificadas, podem ser comparticipadas, em regime domiciliário, até 20 sessões de tratamento.
Em patologias específicas, mediante análise dos serviços internos dos SAMS, a comparticipação pode ser atribuída até ao máximo de 60 sessões anuais.