Blog

Beleza Saúde

A Fisioterapia Dermato-funcional no pós cirúrgico numa Abdominoplastia

A Fisioterapia Dermato-funcional no pós cirúrgico numa Abdominoplastia

O sucesso de uma cirurgia plástica não depende apenas do ato cirúrgico.

Ter atenção aos cuidados no pré e pós-operatório podem ser um fator de prevenção de possíveis complicações cirúrgicas e de uma obtenção de  melhores resultados estéticos.

Das várias intervenções cirúrgicas na área da estética, a abdominoplastia é a realizada mais frequentemente, pois permite melhorar o aspeto do abdomen, tornando-o mais liso, firme, bonito e proporciona um contorno corporal mais acentuado.

Para os pacientes que apresentam gordura localizada, flacidez decorrente de uma grande perda de peso corporal, de uma gravidez múltipla e/ou diástase abdominal esta é uma boa opção.

Existem várias técnicas cirúrgicas para a realização desta cirurgia que podem estar associadas a lipoaspiração, mas todas elas têm por objetivo a remoção de uma grande parte da pele e tecido adiposo na parede do abdômen inferior e sutura dos rectos abdominais, melhorando desta forma o contorno corporal.

Existem várias complicações cirúrgicas que podem ocorrer durante este processo. As que mais se destacam são os hematomas e seromas (mais frequente), cicatrizes hipertróficas, hipotróficas, queloides, retrações, infecções, fibrose, aderências e hiperpigmentação cutânea.

Quando existe uma correta indicação para a realização da técnica cirúrgica, quando os seus princípios  são respeitados e se  asseguram os cuidados específicos que devem ser realizados tanto no pré como no pós-operatório estas complicações podem ser evitadas na grande maioria dos casos.

No pré operatório:

Esta é a fase de maior ansiedade e de muitas perguntas.

É importante retirar todas as dúvidas com o seu cirurgião plástico.

Serão realizados alguns exames pré-operatórios pedidos pelo cirurgião e não deve fazer uso de nenhuma medicação sem o conhecimento prévio do seu cirurgião.

Nos 30 dias anteriores  á cirurgia deve parar de fumar pois a nicotina promove uma vasoconstrição nos pequenos vasos levando a problemas durante a cirurgia e a capacidade de recuperação no pós operatório também fica comprometida.

Aproveite esta fase de mudança e ganhe hábitos de vida mais saudáveis.

Realize exercícios respiratórios, estes vão ajudar nos primeiros dias, pois a respiração vai estar mais dificultada pelo próprio ato cirúrgico e pela utilização da cinta.

O seu fisioterapeuta Dermato-funcional poderá ajudar nesta fase com a prescrição de exercícios respiratorios adequados, a utilizar corretamente a cinta no pós operatório e no aconselhamento das posturas adequadas no pos operatório imediato. Todas as duvidas que ainda existirem ele também o ira ajudar.  

 No pós operatório:

No pós-operatório da abdominoplastia é comum o paciente sentir-se edemaciado e com a pele desidratada e a descamar.

Quando o banho for permitido hidrate bem a pele com um produto neutro  e com movimentos suaves. É normal que tenha nesta fase uma alteração da sensibilidade nesta zona operada.

O seu cirurgião irá combinar consigo visitas regulares para verificar a evolução do pós operatório e da retirada dos pontos cirúrgicos.

A utilização da cinta pós operatória é obrigatória e é muito importante ter em conta como a deve colocar, pois deve comprimir toda a zona operada da mesma forma. A cinta deve exercer uma compressão sobre todo o tronco.

O seu cirurgião irá ajudar na escolha do melhor modelo assim como o tempo total da sua utilização.

Nos primeiros 30 dias deve manter uma flexão do tronco em todas as posturas do dia a dia, isto evitará criar tensão sobre a cicatriz evitando complicações.

Quanto ao edema no pós-cirúrgico este é normal e a drenagem linfática  é fundamental.

 Durante a cirurgia capilares sanguíneos e linfáticos são danificados na zona operada e o edema instala-se com mais facilidade.

A drenagem linfática vai estimular o funcionamento do sistema linfático, ajudando na reabsorção do edema.

Ao aumentar a absorção do edema a recuperação será mais rápida, terá mais conforto e  menos dor  e permite resultados estéticos mais satisfatórios.

A drenagem linfática deve ser realizada por um fisioterapeuta Dermato funcional que tenha conhecimento da técnica, assim como da cirúrgia e de todo o processo que irá decorrer no pós operatório.

A partir dos 30 dias e se houve lipoaspiração associada algumas zonas podem estar mais organizadas e duras ao toque. Sao zonas de endurações que poderão evoluir para fibroses. É. Importante continuar as sessões de fisioterapia dermatofuncional para controlar este fenómeno e eliminar.

Nesta fase está proibida a realização de exercício fisico, pois irá aumentar o edema.

O exercicio será retomado de forma gradual e de acordo com as instruções do seu fisioterapeuta e do seu cirurgião.

Nos primeiros 2 meses evitar fontes de calor, pois também vão favorecer a formação de edema.

As cicatrizes devem ser protegidas do sol durante o 1 ano, para não alterarem a sua coloração.

Mónica Bacelar

Write a Comment

OS MAIS POPULARES